pedroandre 15/11/2018

Edição nº 099

Os problemas de disponibilidade de material circulante da CP têm sido acompanhados de uma única explicação: a insuficiência de mão-de-obra na EMEF na sequência da redução de trabalhadores ocorrida entre os anos de 2011 e 2015. Em torno desta narrativa política, têm faltado os factos que permitam perceber como é que a empresa chegou ao ponto actual. Nesta edição, vamos olhar para os últimos anos de actividade da EMEF e perceber realmente como se encontra a empresa e em que contexto chegou até à situação actual.

A par de várias notícias de maior ou menor relevância, damos conta ainda daquele que poderá ser o final de carreira das locomotivas 1900, pelo menos da forma como as conhecemos, numa altura em que apenas sobram duas unidades ao serviço, praticamente alocadas em exclusivo aos comboios para Neves Corvo.

Por último, apresentamos uma entrevista com Nuno Barrento, o autor do livro “A Sinalização Ferroviária em Portugal”, cujo primeiro volume será lançado no próximo mês, naquela que será uma publicação obrigatória sobre uma temática tão pouco notada mas tão relevante para a ferrovia como o é a regulação de tráfego.

2018-11

Nota: para fazer download, utilizar o botão com uma seta para baixo no canto superior direito.

Leave a comment.

Your email address will not be published. Required fields are marked*

Mostrar botões
Esconder botões