“Lousã pelo Ramal” exige reposição do serviço ferroviário

2015-12_lousaO Movimento “Lousã pelo Ramal” divulgou um manifesto apelando câmaras municipais de Coimbra, Lousã e Miranda do Corvo para que defendam os interesses dos utentes e apoiem a reposição imediata do serviço ferroviário. O manifesto defende a eliminação da sociedade Metro do Mondego e a reversão da operação do ramal para responsabilidade da CP.

O movimento defende a reposição dos carris, em bitola ibérica, e eletrificação do ramal, com recurso aos fundos europeus aplicáveis e mantendo o ramal na Rede Ferroviária Nacional. O grupo volta a lembrar os impactos negativos na acessibilidade das populações desde o fecho do ramal, há cerca de seis anos, com impactos económicos também muito relevantes.

As soluções de Metro de Superfície e BRT que já foram equacionadas para um projeto que foi abandonado a meio são rejeitadas no documento por as considerarem inadequadas a uma oferta de tipo suburbano.

O grupo celebrará os 109 anos do ramal com um jantar aberto, já no dia 16 de Dezembro.