Eletrificação da linha do Oeste

No pacote de investimentos ferroviários que totalizam cerca de 2.700 milhões de Euros anunciado pela Infraestruturas de Portugal, a linha do Oeste ressurge como uma prioridade no mapa ferroviário nacional.

Não estando completamente detalhada a intervenção, tratar-se-á da renovação do troço Meleças – Caldas da Rainha, permitindo a circulação de comboios elétricos entre as Caldas da Rainha e Lisboa. Além da eletrificação a 25.000V, serão ainda instalados os mais modernos sistemas de sinalização automática e de telecomunicações, reforçando quer a capacidade da linha, quer a sua segurança.

As estações serão adaptadas para comboios com 750 metros e novos desvios ativos serão criados, nomeadamente junto à estação de São Mamede.

No resumo macro da intervenção na linha do Oeste, apresentada pela empresa, existe uma enigmática apresentação de uma construção nova de 18 quilómetros na linha do Oeste, embora não seja claro se se trata ou não de uma gralha. Certo é que ainda não será desta que será feita a variante da Malveira ou sequer qualquer ligação à linha do Norte na zona do Entroncamento.

Com o aproveitamento da muita capacidade disponível na linha de Sintra, quadriplicada até ao Cacém, e com a tração elétrica, são de esperar ganhos nos tempos de viagem entre Lisboa e Caldas da Rainha diminuindo em muito os custos operacionais destes comboios – a estimativa fixa-se em mais de 2,5M€ de poupanças anuais.

Para a linha do Oeste estão reservados 106,8 milhões de Euros, dos quais 32,7 milhões assegurados pelo Orçamento de Estado.

One thought on “Eletrificação da linha do Oeste

  • 15 Fevereiro, 2016 at 14:20
    Permalink

    Deviam de electrificar a linha toda!

Comments are closed.