Linha do Algarve sem correção de traçado mas com material elétrico

A linha do Algarve vai ser eletrificada até ao 3º trimestre de 2021, tendo sido consagrada esta intervenção como prioritária pela Infraestruturas de Portugal. A linha vai receber um investimento de 31,6 milhões de Euros, com 22,7 milhões a serem financiados especialmente pelo programa Portugal 2020.

Apeadeiro do Livramento na atualidade, com uma automotora diesel parada.
Apeadeiro do Livramento na atualidade, com uma automotora diesel parada.

O montante do investimento destina-se exclusivamente à eletrificação da linha, não estando previstos mais ajustes na sinalização ou sistemas de segurança ou, ainda menos, a correções de traçado. De fora fica também a ligação ao aeroporto de Faro, pedida há vários anos mas sempre adiada. Assim continuará.

Os ganhos no tempo de percurso que são estimados devem-se em exclusivo ao emprego de material elétrico de performances superiores ao obsoleto material diesel que percorre a linha diariamente. A eletrificação foi decidida por julga-se que o parque de UTE 2240 da CP é suficiente para acorrer a mais esta eletrificação, pelo que não há gastos com material circulante a prever.

Com a eletrificação em toda a extensão entre Lagos e Vila Real de Santo António, fica aberta a possibilidade do Longo Curso regressar ao Sotavento, permitindo servir as estações de Olhão, Tavira e Vila Real de Santo António. Essa possibilidade tem sido debatida pela CP, que até à eletrificação da linha Lisboa – Faro sempre fez de Vila Real de Santo António uma estação-testa destes serviços.

O concurso para a realização do projeto será lançado em Abril deste ano.