Governo Francês anuncia plano para comboios estruturantes do território

O Governo Francês confirmou no dia de hoje o investimento massivo nos chamados TET – Trains d’Équilibre du Territoire: em português “Comboios de Equilíbrio do Território”. Nesta categoria entram todos os comboios de carácter interregional que não pertencem aos segmentos de longo curso de topo, auto-sustentáveis.

O secretário de estado dos Transportes francês, Alain Vidalies, apresentou hoje o plano de investimentos e o plano de acção para estes comboios da SNCF que perderam nos últimos cinco anos 20% dos passageiros ao mesmo tempo que já apresentam défices anuais superiores a 400 milhões de Euros.

A primeira medida é a confirmação do investimento de 1.500 milhões de Euros em material circulante como forma de rejuvenescer o material circulante afecto a estas relações e que tem uma média de idades já bastante avançada. Os novos comboios serão todos colocados ao serviço até 2025, altura em que as carruagens Corail terão dito adeus em definitivo após mais de 40 anos de serviço.

Intercités Paris - Clermont, chegando ao seu destino. Os comboios de máquina e carruagem serão trocados a partir de 2020.
Intercités Paris – Clermont, chegando ao seu destino. Os comboios de máquina e carruagem serão trocados a partir de 2020.

As ligações Intercités (pertencentes aos TET) Paris – Clermont Ferrand, Paris – Toulouse e Nice – Bordéus terão comboios com requisitos mais apertados, já que são ligações com velocidades de ponta mais elevadas – até 220 km/h. A SNCF vai lançar um concurso específico para estas ligações. Nas ligações Paris – Caen – Cherbourg é possível que seja aproveitado um contrato atualmente existente entre SNCF e Bombardier para fornecimento de automotoras aptas a 200 km/h ou então poderá ser também lançado um concurso à parte do restante material circulante.

Atualmente, um contrato de 510 milhões de Euros para o fornecimento de 34 comboios híbridos prevê as primeiras entregas para o final de 2016 e serão usados preferencialmente em rotas como Nantes – Bordéus – Toulouse, onde atualmente resistem composições formadas por carruagens Corail e locomotivas diesel BB 67400. A estes, e somando-se aos comboios de velocidade elevada já citados, um novo contrato para mais 30 comboios será posto a concurso em breve.

Comboio noturno La Tour de Carol - Paris Austerlitz: um dos dois noturnos com futuro assegurado.
Comboio noturno La Tour de Carol – Paris Austerlitz: um dos dois noturnos com futuro assegurado.

Uma das preocupações do governo francês é também a gestão dos comboios Noturnos, que têm perdido passageiros a um ritmo superior à média dos TET: 25% desde 2011. Estes comboios são responsáveis por 25% do prejuízo dos TET apesar de transportarem apenas 3% do total de passageiros e atualmente cada bilhete vendido pressupõe uma subsidiação estatal de 100€.

Para minorar as perdas, o estado francês identificou as ligações noturnas que pela sua importância serão mantidas e subsidiadas pelo Estado francês, mesmo mantendo-se a sua baixa frequentação. É o caso dos comboios Paris – Briançon, nos Alpes do Sul, e Paris – Rodez / La Tour de Carol, nos Pirinéus. Nestas duas relações, o Estado assumirá assim o seu financiamento para manter a operação.

Já em todas as outras ligações, o Estado vai ponderar retirar o financiamento e comprometeu-se a criar condições para que os operadores possam imaginar novas formas mais eficientes de operação deste tipo de comboios. O secretário de estado assinalou que se tratam de eixos onde existem linhas de alta velocidade e que, por isso, os comboios noturnos não são indispensáveis para assegurar a mobilidade nos territórios por eles atravessados. É o caso de ligações como Luxembourg / Strasbourg – Portbou / Nice.

Será por isso lançado um concurso para que os operadores apresentem as suas propostas para os eixos atualmente em exploração após o que, em Julho de 2016, o Estado anunciará a sua decisão final. Até lá os comboios permanecerão em operação normal.