Governo compromete-se a arranjar uma solução para o Ramal da Lousã

Allan 352 em Serpins, Ramal da Lousã. Foto de Gil Monteiro.
Allan 352 em Serpins, Ramal da Lousã. Foto de Gil Monteiro.

“O Metro Mondego é uma situação que se arrasta ao longo dos anos e que nos preocupa profundamente.”, afirmou Miguel Baptista ao “Notícias de Coimbra”.  Segundo o mesmo responsável, “os concelhos de Miranda do Corvo e de Lousã sofreram duplamente a nível económico e social, com o encerramento da linha “, juntando-se a isso a crise dos últimos anos.

Após a suspensão da circulação ferroviária, segundo o autarca, o concelho de Miranda do Corvo tem vindo a perder habitantes. Sendo assim, o Presidente da Câmara considerou “urgente” encontrar uma solução para aquela via, o que “relançará novamente o crescimento económico do concelho”.

Também em declarações ao jornal da região, o Ministro Eduardo Cabrita afirmou estar “ciente” do problema do Ramal, pois sabia que ”o meio ferroviário é uma prioridade do governo, é um dos melhores instrumentos de ligação de regiões”. O mesmo acrescentou que “a matéria está identificada e terá uma proposta técnica adequada” e que o governo pretende “terminar com este limbo que Miranda do Corvo, Lousã e Coimbra estão a viver”.